terça-feira, 27 de julho de 2010

Os Fullerenos: uma nova família de compostos de carbono


A descoberta do C60, uma molécula composta por sessenta átomos de carbono, levou a que em 1985 R. Smalley, H. Kroto e seus colaboradores, propusessem uma simetria icosaédrica para esta molécula. Os 60 átomos de carbono formariam um agregado com a forma de um icosaedro truncado, em que cada um dos sessenta átomos de carbono se encontraria ligado a três carbonos vizinhos, de tal modo que cada átomo de carbono ocuparia um dos vértices de um icosaedro, numa estrutura de grande estabilidade em que todos os carbonos seriam equivalentes.

A esta molécula foi atribuido o nome de Buckminsterfullereno, em homenagem ao arquitecto Buckminster Fuller, que se tornou célebre por ter desenhado várias catedrais com a simetria icosaédrica.

A molécula do Buckminsterfullereno, C60, é muitas vezes descrita como uma bola de futebol. O futeboleno será um bom exemplo de um icosaedro truncado com doze faces pentagonais e vinte faces hexagonais. Se pintarmos os pentágonos de preto e os hexágonos de branco, fácilmente reconheceremos a origem do nome futebolleno, a que os americanos chamam "soccer-ball".

A descoberta do Buckminsterfullereno, C60, e de um método de o produzir em quantidades macroscópicas, abriram mais uma porta na nova e interessante área da Química: a engenharia dos materiais.

O Buckminsterfullereno é apenas um membro de uma grande família de moléculas de carbono, em forma de "gaiolas", a que se chamou genéricamente fullerenos. A estrutura geométrica dos fullerenos tem de apresentar exactamente doze faces pentagonais, mas pode apresentar qualquer número (excepto um!) de faces hexagonais. Os fullerenos são designados pela fórmula geral C20+2H onde H representa o número de faces hexagonais. O C60, por exemplo, apresenta 20 faces hexagonais.

O C60 pode ser considerado uma nova variedade alótrópica de carbono, que no futuro poderá vir a desempenhar um papel tão importante como a grafite ou o diamante. As propriedades demonstradas como supercondutores e semicondutores, bem como a possibilidade de envolverem átomos no interior da sua estrutura em gaiola, ou simplesmente a possibilidade criada por um novo grupo funcional da Química Orgânica, serão pontos de partida interessantes para a Ciência.

Os Fullerenos foram identificados no espaço!

25 Anos depois da sua descoberta em laboratório, os Fullerenos foram identificados no espaço!


Um grupo de astrónomos detectou as maiores moléculas já encontradas no espaço numa nuvem de poeira cósmica ao redor de uma estrela: as moléculas de Fullerenos. Foi através do Spitzer, o telescópio de infravermelhos da NASA, que o grupo de cientistas, liderado por Jan Cami, da Universidade de Wester Ontário, detectou e identificou esta molécula, segundo o artigo publicado na Science.

O sinal, que permitiu identificar esta curiosa molécula, foi originário de uma estrela de Ara, no hemisfério celestial sul, a 6500 anos-luz de distância da Terra.

Harry Kroto, Nobel da Física em 1996 pela descoberta dos fulerenos, assinala: “Este avanço entusiasmante fornece provas convincentes que os fulerenos, como sempre suspeitei, existiram desde tempos imemoráveis nos recantos escuros da nossa galáxia”.




terça-feira, 20 de julho de 2010

41 anos passados sobre a ida do Homem à Lua!

Viagem à Lua
Os três pilotos que fizeram a primeira incrível viagem à Lua

"Parecia impossível que naquele ponto branco no céu estivessem dois homens a dar pequenos saltos. O primeiro passeio lunar durou duas horas e meia e, em órbita, havia um terceiro astronauta muito, mas mesmo muito sozinho.
Passaram 40 anos e ainda há quem não acredite que fosse verdade. Na Terra, 450 milhões de pessoas seguiram aquele acontecimento improvável pela televisão.
Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar o solo da Lua, comandante da tripulação da Apollo 11, estava à beira de fazer 39 anos. A missão correu sem falhas e ficou conhecida a famosa frase de Neil Amstrong "um pequeno passo para um homem, um salto gigantesco para a humanidade".

Diário de Notícias, Adaptado

15 Julho 2009

Mais informação em: http://www.nasa.gov/externalflash/apollo11_40/

" Um pequeno passo para o Homem, um grande passo para a humanidade !"